O supereu imperativo do gozo nas viagens

cynthia mello ferrari

Resumo


Diversos estudos multidisciplinares tentam dar conta de explicar a complexidade de fatores que propiciaram o desenvolvimento de um dos mais expressivos representantes do capitalismo globalizado: o turismo e como este fenômeno sócio-cultural se transformou em uma das grandes indústrias da experiência e o seu emissário, no tipo ideal de sujeito contemporâneo: o turista.  Nesse sentido, propomos elaborar um novo caminho para reflexões acerca da temática, com base na crítica psicanalítica, sobre como as viagens se transformaram nos dias de hoje, em um objeto irrecusável do desejo, representando o Outro cultural. E mais do que isso: uma instância simbólica do capitalismo global, construída pelo mercado turístico através de enunciadores midiáticos (revistas e jornais) que convocam os enunciatários a praticar o gozo através de modelos de sujeitos ideais, mas sempre em locais perfeitos (idílicos, exóticos e/ ou cosmopolitas), oferecidos em suas reportagens turísticas. Pretendemos avaliar como esta prática sócio-cultural se incorporou, no processo imperativo do gozo do sujeito globalizado, na lógica capitalista de buscar prazer imediato e identificações na atualidade.


Palavras-chave


turismo; psicanálise; supereu; imperativo do gozo; mídia.

Texto completo:

PDF


 Diretórios e Indexadores

 

REVISTA HOSPITALIDADE ISSN 1807-975X    e-ISSN 2179-9164

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia