“Falo inglês... bem ruim, mas falo”: um estudo de caso sobre a competência oral em inglês no setor de recepção hoteleiro

Lucia Helena Monteiro, Marimar Da Silva

Resumo


Este estudo qualitativo-interpretativo buscou identificar se o nível de competência oral em inglês de recepcionistas de hotéis do centro de Florianópolis associados ao Floripa Convention & Visitors Bureau viabiliza o desenvolvimento de POP de check-in no idioma de forma autônoma e qualificada. Participaram do estudo 8 hotéis, 25 recepcionistas e 3 gerentes gerais, respondendo questionários online. A análise revelou que 60% dos participantes têm conhecimento de palavras ou expressões em inglês ou apenas o nível básico no idioma, que não os qualifica para desenvolver um POP de check-in em inglês; 20% falam e compreendem o idioma, mas precisam melhorar a fluência; e outros 20% falam e compreendem o idioma em nível avançado. A partir dos resultados, produziu-se um Podcast com um POP bilíngue de check-in, que foi compartilhado com os participantes do estudo e postado em plataformas de acesso livre. Sugere-se ações estratégicas de endomarketing, visando contribuir para a transformação do cenário atual no que tange à competência oral em inglês dos trabalhadores do setor, e a ampliação do escopo do estudo.


Palavras-chave


POP de Check-in; Competência Oral em Inglês; Setor Hoteleiro; Podcast.

Texto completo:

PDF


 Diretórios e Indexadores

 

REVISTA HOSPITALIDADE ISSN 1807-975X    e-ISSN 2179-9164

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia