O impacto do gerenciamento de leitos na gestão hospitalar

Alexsandra Maria Wasgen, Mellina da Silva Terres, Bárbara Foiato Hein Machado

Resumo


O processo de desenvolvimento das organizações hospitalares em busca da melhoria da qualidade de seus serviços tem sido motivado por um conjunto de fatores, como o aumento da demanda e o número limitado de leitos hospitalares. Neste sentido, novas áreas de gestão hospitalar começam a se desenvolver, como por exemplo a gestão de leitos. Considerando isto, esse trabalho objetiva propor um modelo teórico para a gestão de leitos. No Brasil, como em outros países em desenvolvimento, o setor hospitalar precisa aprimorar o desempenho em gestão para atender à demanda, sendo o gerenciamento de leitos um dos processos críticos nos quais os hospitais têm sido confrontados. Portanto, faz-se necessário identificar claramente os processos que interagem na ocupação dos leitos, para, posteriormente, serem propostas melhorias neste sentido. Assim, através da revisão bibliográfica realizada, constatou-se que a implantação do modelo teórico pode aumentar o número de pacientes atendidos, por meio, principalmente, da redução do tempo de limpeza dos leitos - o que possibilita a gestão de leitos alocar outro paciente para o leito vago em menos tempo - , a criação de salas de espera para pacientes com alta médica - que possibilita que o leito seja reocupado por outros pacientes - , e os planos de altas médicas, os quais possibilitam que toda a equipe conheça a fase do tratamento estado paciente, reduzindo atrasos, erros e  tempo de internação.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21714/2179-9164.2019.v16n2.002

 Diretórios e Indexadores

 

REVISTA HOSPITALIDADE ISSN 1807-975X    e-ISSN 2179-9164

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia