A febre do Pokémon Go na perspectiva da hospitalidade humana

Elizabeth Wada, Luiz Octávio de Lima Camargo

Resumo


Este artigo trata de um jogo que vem fascinando populações de diferentes idades e países - o Pokémon Go – e pergunta sobre o impacto de sua prática na hospitalidade cotidiana. Adotando o formato de um ensaio, o texto confronta ideias e teorias aos dados secundários de pesquisas realizadas, distinguindo três dimensões da hospitalidade possíveis de análise do jogo: (a) como atividade de lazer que se situa no plano de um novo interesse cultural, o virtual; (b) como prática turística, estimulando a exploração do espaço urbano e, com o recurso da Realidade Aumentada, incentivando viagens; e (c) como atividade que de alguma forma interfere nos processos de hospitalidade propriamente dita, podendo ser relacionada  aos processos de hospitalidade do ser humano em relação aos animais e, por extensão, a objetos. 


Palavras-chave


Hospitalidade. Lazer. Turismo. Realidade Aumentada. Pokémon Go.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21714/1807-975X.2016v13nEp0113

 Diretórios e Indexadores

 

REVISTA HOSPITALIDADE ISSN 1807-975X    e-ISSN 2179-9164

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia