FESTIVIDADE DE SÃO SEBASTIÃO, DE CACHOEIRA DO ARARI: UMA POSSIBILIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO CULTURAL NA ILHA DO MARAJÓ, BRASIL

Marinete Silva BOULHOSA

Resumo


O presente artigo aborda a religiosidade do povo amazônico, que tem nas festas de santos católicos uma das maiores manifestações da identidade e cultura amazônica. Trabalhando a partir da descrição, análise e interpretação da Festividade de São Sebastião de Cachoeira do Arari, na Ilha do Marajó, que se destaca como a maior manifestação em homenagem a esse santo no Brasil, a qual teve seu registro aprovado no ano de 2013 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, como patrimônio cultural do Brasil. O objetivo aqui é discutir sobre o aproveitamento turístico desta manifestação religiosa, através do turismo cultural, destacando sua importância na contribuição do resgate, valorização e promoção da cultura marajoara. A base teórica e metodológica está na antropologia social e cultural, tendo como método de investigação a etnografia, compreendendo-a como uma experiência de imersão total que possibilita uma aproximação maior com as práticas culturais da gente marajoara e possibilita maiores recursos de informações para a proposição do turismo cultural, como fator de alternativa para o desenvolvimento da região.

Palavras-chave


Religiosidade; turismo cultural; Ilha do Marajó; festa de santo; festividade de São Sebastião.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21714/2179-9164.2017v14n1.748

 Diretórios e Indexadores

 

REVISTA HOSPITALIDADE ISSN 1807-975X    e-ISSN 2179-9164

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia