Relações de hospitalidade na Romaria ao Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio – Farroupilha/RS: a ótica do acolhedor

Mônica Schneider, Marcia Maria Cappellano dos Santos

Resumo


Resumo: Este artigo versa sobre relações de hospitalidade na romaria ao Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio – Farroupilha/RS, sob a ótica de algumas das principais instâncias envolvidas em seu planejamento e realização: o Santuário, o Poder Público (representado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo do município) e o setor privado (representado por empreendimentos de hospedagem e restauração situados no entorno do santuário). Para o desenvolvimento da pesquisa, de natureza qualitativa, realizaram-se entrevistas semiestruturadas. Dos dados coletados e analisados depreendeu-se como é pensada a hospitalidade na e para a romaria, que ações vêm sendo planejadas e realizadas nessa direção e como vem sendo avaliada. O discurso do acolhedor teve como tônica a busca do ATENDER BEM, propiciando o BEM-ESTAR e o SENTIR-SE BEM. Também nesse discurso, mencionou-se a religiosidade como um elemento que concorreria para a instauração da hospitalidade em situações eventualmente adversas ao acolhimento. Os resultados apontaram para a pertinência de aprofundarem-se os estudos dando voz ao outro polo da relação, o romeiro. Pesquisa a esse respeito encontra-se em andamento.

Palavras-chave


Turismo; Hospitalidade; Romaria.

Texto completo:

PDF


 Diretórios e Indexadores

 

REVISTA HOSPITALIDADE ISSN 1807-975X    e-ISSN 2179-9164

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia