Artesanato, Cultura e Turismo: O Discurso Estético-Político nas Arpilleras

Luciene Jung Campos, Raquel Alquatti, Ismael Pereira

Resumo


O presente artigo aborda a cultura popular, mais especificamente o artesanato, para discutir suas possibilidades em relação ao turismo. Parte-se do pressuposto que a lógica capitalista tem levado ao tratamento reducionista dado a cultura, pelo turismo. O objeto de análise são as tapeçarias chilenas, denominadas arpilleras, que nos anos 1970 foram utilizadas por grupos de mulheres para denunciar as violações aos direitos humanos naquele país. O objetivo do artigo é o de analisar como as paisagens produzidas nas tapeçarias reproduziam do Chile de então, utilizando-se como metodologia a Análise do Discurso. Os resultados mostram que tais peças artesanais estão incorporadas ao patrimônio histórico e cultural chileno, e nessa condição são expostas em diferentes países, inclusive no Brasil, incentivando produções locais. A apropriação turística de patrimônios como as arpilleras, pelo turismo, entretanto, exige outra relação com a cultura. 


Palavras-chave


Turismo; Artesanato; Patrimônio Cultural; Arpilleras.

Texto completo:

PDF


 Diretórios e Indexadores

 

REVISTA HOSPITALIDADE ISSN 1807-975X    e-ISSN 2179-9164

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia