Turismo em Unidades de Conservação: adaptação do método visitor activity management process (VAMP) para a caracterização do uso público e o manejo de visitantes no Parque Estadual da Ilha do Mel (PR)

Oswaldo Dias Santos Junior, Paulo Santos Pires

Resumo



Dentre as diversas opções metodológicas disponíveis para a gestão dos impactos e manejo da visitação em unidades de conservação tem-se o Visitor Activity Management Process – VAMP, de origem canadense. O método foi adaptado e aplicado ao Parque Estadual da Ilha do Mel (PEIM), no litoral do estado do Paraná, para estudar o seu uso público. Nesse contexto, o presente trabalho tem como objetivo central expor a adoção do VAMP e de que maneira este foi adaptado e aplicado às condições do PEIM. Como resultados são apresentados o mecanismo dessa aplicação, as informações geradas e as proposições para subsidiar o manejo do uso público do parque, considerando que o VAMP — dentre os métodos de gestão dos impactos e manejo do uso público em áreas protegidas — é o que possui mais afinidade com os estudos de perfil, de comportamento e de percepção públicas em destinos naturais do turismo.



Palavras-chave


Turismo em áreas naturais; Áreas protegidas; Uso público; Método VAMP; Parque Estadual da Ilha do Mel;

Texto completo:

PDF


 Diretórios e Indexadores

 

REVISTA HOSPITALIDADE ISSN 1807-975X    e-ISSN 2179-9164

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia